FuncionáriosAbreueLima

Funcionários da Refinaria Abreu e Lima voltam a paralisar as atividades

Desta vez, foram os funcionários da empresa Oliveira Construção e Engenharia que paralisaram as atividades na Refinaria Abreu e Lima (Rnest), na manhã desta quarta-feira (24), por tempo indeterminado. Entre as reivindicações, está a regularização do pagamento dos direitos alcançados no mês de agosto, conquistados durante a convenção coletiva.

Ao todo, são 54 trabalhadores de braços cruzados. “Estamos levando a questão ao Ministério Público, para que eles fiquem cientes do que está acontecendo”, ressalta Leodelson Bastos, diretor de fiscalização do Sintepav-PE (Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral no Estado de Pernambuco).

De acordo com Bastos, a empresa Oliveira Construção e Engenharia não oferece alimentação (almoço e jantar) aos trabalhadores, que também não puderam constituir a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), assim como também estão sem receber hora extra, PLR e folga de pagamento. As denúncias citam ainda a prática de isonomia salarial e o não pagamento de adicional noturno aos trabalhadores que estendem as atividades além das 22h. “Estamos regredindo. A empresa quer tratar o trabalhador como um boia-fria da década de 1980, depois de tantos direitos conquistados”, continua Bastos.