foto-21

Com o objetivo de encontrar uma solução para as diversas irregularidades denunciadas recentemente pelos trabalhadores que atuam na construção da Via Mangue, o Sintepav-PE se reuniu com representantes da construtora Queiroz Galvão, na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Pernambuco (SRT), na última terça-feira (11). Dentre os principais problemas encontrados na obra destacam-se a ausência de cipeiro no turno da noite e agressões verbais e ameaças aos operários.

Foram relatados também o fornecimento de uniformes desgastados (rotos), baixa qualidade da alimentação – ocasionando surtos de infecção intestinal – ausência de ambulâncias, socorristas e enfermeiros em todas as frentes de serviço. Também falta sinalização adequado no canteiro de obras e foi relatada perseguição ao membro da CIPA Marcílio da Silva Monteiro.

Também ficou caracterizada a subnotificação de acidentes de trabalho por falta de registro da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) em 21 situações de acidentes ocorridos em julho do ano passado e entregues apenas no dia 16 de março de 2013.

A empresa disse que realizará uma vistoria das rotinas de procedimentos, além de inspeção na cozinha do fornecedor das refeições. Também se comprometeu a verificar quais empreiteiros estariam fornecendo uniformes estragados para corrigir o procedimento. Os alojamentos também serão vistoriados para verificar e evitar superlotação. Este trabalho será realizado por profissionais da Universidade de Pernambuco, acompanhados por membros da CIPA e do Sintepav-PE. Foi estabelecido o dia 30 de junho de 2013 para que todas as irregularidades sejam sanadas.