Protesto-FS

Uma comitiva do Sintepav-PE acompanhou ontem (11) os protestos realizadas durante o Dia Nacional de Luta, em Ipojuca e no Recife. A manifestação foi organizada por sete centrais sindicais que realizaram conjuntamente um ato público em defesa dos direitos dos trabalhadores. O objetivo foi cobrar o cumprimento de uma pauta de reivindicações entregue ao Governo Federal durante a 7ª Marcha das centrais sindicais, realizada em março, em Brasília, com mais de 50 mil pessoas. As duas manifestações, juntas, duraram cerca de dez horas e reuniram mais de 15 mil trabalhadores nas ruas.

“Há mais de 30 anos não vivíamos um momento como esse de unidade das centrais sindicais. E hoje nós podemos fazer isso de novo. Sem dúvida foi um dia histórico”, comemorou Aldo Amaral, presidente do Sintepav-PE e da Força Sindical em Pernambuco. No Complexo Portuário de Suape, a manifestação liderada pelo presidente Aldo Amaral, teve início por volta das 3h da manhã e seguiu até às 10h.

Com trios elétricos, pneus queimados e barricadas, os trabalhadores impediram a passagem de quem seguia em direção ao centro industrial e portuário de Pernambuco. A ação foi acatada pelos trabalhadores do Complexo, cerca de 80 mil cruzaram os braços no Dia Nacional de Luta, desde os operários das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) até os da Refinaria Abreu e Lima.

Já a segunda frente de manifestação reuniu milhares de trabalhadores numa grande caminhada pelas ruas do centro do Recife. A concentração teve início às 14h na Praça do Derby. De lá, as centrais com seus sindicatos filiados, movimentos sociais e trabalhadores caminharam por cerca de duas horas por um dos mais importantes corredores de ônibus da cidade, a Avenida Conde da Boa Vista. Das sacadas dos edifícios, a população aprovava a manifestação com palmas e até chuva de papel picado. O desfecho do ato foi na Assembleia Legislativa do Estado, quando o presidente Aldo Amaral e os seis presidentes das demais centrais sindicais foram recebidos pelos secretários de estado, Aluísio Lessa e Tadeu Alencar, além dos deputados estaduais Waldermar Borges (líder do Governo) e Daniel Coelho (oposição).

REIVINDICAÇÕES – A pauta reivindicada pelas Centrais foi aprovada na Conferência Nacional da Classe Trabalhadora, realizada em 2010, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo. As principais reivindicações são: o fim do fator previdenciário, jornada de 40 horas semanais sem redução salarial, reajuste digno para os aposentados, mais investimentos em saúde e educação, transporte público de qualidade, fim do Projeto de Lei 4330 que amplia a terceirização, reforma agrária, fim dos leilões do petróleo, combate à inflação e a recuperação das perdas do FGTS.