dados

Comércio segura o emprego

O aumento nas contratações pelo comércio, em setembro, compensaram os cortes no setor de serviços. Com isso, a taxa de desemprego se manteve estável (6,7%) em setembro na Região Metropolitana do Recife (RMR), quando comparada ao mesmo mês do ano anterior. Em relação a agosto, com taxa de 7,1%, houve uma pequena queda, segundo dados da Pesquisa Mensal de Emprego do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o levantamento, das 3,35 milhões pessoas em idade ativa, 46,6% encontravam-se ocupadas (nível de ocupação), 3,3% desocupadas e 50,1%, não economicamente ativas.

Na comparação mensal, nos grupamentos de atividade, apenas os trabalhadores ocupados nos serviços prestados às empresas registraram queda de 9,8%, a maior redução entre os setores pesquisados. As demais atividades não apresentaram variação significativa. “Este segmento engloba os terceirizados e intermediação financeira, por exemplo. Na pesquisa, identificamos que entre agosto e setembro apenas este setor foi o responsável pela dispensa de 27 mil pessoas. Foi algo pontual de setembro. Em agosto, o setor havia absorvido 16 mil pessoas”, afirmou a técnica da gerência da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, Adriana Reinguy.

Em relação à população ocupada, os dados do IBGE mostram que os empregados com carteira assinada representavam em setembro 47,6% do total, os trabalhadores por conta própria, 19,6% e os empregados sem carteira no setor privado 9%.

Pelos dados, o comércio foi um dos segmentos que mais empregou no mês passado: 23% do total (360 mil postos de trabalho). O setor da educação, saúde e administração pública empregou 18,4% (288 mil postos de trabalho), o grupo dos serviços prestados às empresas empregou 15,8% (146 mil) e o dos outros serviços empregou 16,5% do total (258 mil trabalhadores).

O rendimento médio real da população ocupada na RMR, estimado em R$ 1.590,50, aumentou 3,6% no mês e 7,4% no ano. “Este crescimento foi influenciado principalmente pelos setores de educação e saúde. Na comparação anual, o setor de comércio registrou uma alta significante (6,4%), com impacto no crescimento. Este setor representa 23% da população ocupada”, disse Adriana.

 Fonte: Diário de Pernambuco