diario de pernambuco

Prepare-se para ficar adimplente

A chance de sair do vermelho e tirar o nome da lista de negativados no SPC ou no Serasa está a caminho. Entre a próxima terça-feira e sábado, acontece a segunda edição da campanha de Recuperação de Crédito, que já conta com 10 empresas confirmadas, entre elas Celpe e Compesa. No ano passado a ação atingiu a marca de 12,5 mil negociações e para este ano, a expectativa é de realizar cerca de 15 mil atendimentos.

Promovida pela Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL) com o Sindicato dos Lojistas do Comércio do Recife (Sindilojas) e o SPC Brasil, o evento busca facilitar a negociação de débitos entre empresas e clientes. “É uma ótima oportunidade de fazer bons acordos e trazer contrapropostas caso não ficar satisfeito. Afinal, estando em um evento como este, as empresas chegam abertas a negociações”, destaca o presidente da CDL Recife, Eduardo Catão.

A economista e professora da Faculdade Boa Viagem (FBV), Amanda Aires, recomenda que o endividado negocie de início a redução da taxa de juros e a quantidade de parcelas. “O ideal é não aumentar o número de parcelas, se apertar um pouco ou eliminar gastos supérfluos e pagar o valor que deve em um volume menor de mensais. Isso vai evitar que os juros continuem a crescer”, explica.

Além disso, o analista financeiro e professor de mercados capitais da Faculdade dos
Guararapes (FG), Roberto Ferreira, aponta que, se a única opção para quitar a dívida for um empréstimo, é aconselhável que seja do tipo consignado. “É uma forma de garantir a quantia sem juros tão altos”, ressalta. Os interessados em negociar as dívidas devem ir até o SPC, na Rua do Riachuelo, número 105, Boa Vista, das 8h às 18h, munido de CPF e documento oficial com foto.

Inadimplência
A pesquisa de inadimplência realizada pela CDL Recife em setembro deste ano destaca que 43% das pessoas que possuem dívidas na RMR pretendem quitar os débitos de forma completa. Deste número, 28% pretendem procurar o credor para fazer acordos. O levantamento destaca ainda que 60% dos inadimplentes são recorrentes e que 32% dos entrevistados têm se endividado por falta de planejamento financeiro e descontrole.

Para diminuir as possibilidades de voltar a se endividar, a professora Amanda Aires pontua a necessidade de investigar e eliminar os pontos que mais comprometem a renda e que podem ser minimizados. “É iniciar uma investigação da conta pessoal, diminuir as despesas, aproveitar o 13º salário e quitar as dívidas acumuladas no ano. Infelizmente, para quem está devendo, o Natal não pode ser de presentes e grandes compras”, afirma.