transposicao

Funcionários de braços cruzados nas obras da Transposição do Rio São Franciso

Os cerca de 500 funcionários da construtora Mendes Júnior, que trabalham nas obras de Transposição do Rio São Francisco, receberam, na última segunda-feira (09), a segunda parcela do 13º salário, previsto para 20 de dezembro. Aproximadamente duas mil pessoas, trabalhadores do canteiro de obras do lote 8, já foram demitidas desde setembro. Esses são os efeitos da operação Lava Jato na obra, da Polícia Federal, que investiga esquema de corrupção nos contratos da Petrobras.

De férias coletivas desde o dia 18, os funcionários deveriam ter voltado ao trabalho na segunda-feira (07), porém, decidiram pela paralisação. “Como eles pagaram o dinheiro ontem, os funcionários voltam ao trabalho na próxima segunda-feira (12). Mas é preciso ter material para trabalhar… Não há dinheiro para comprar combustível para colocar nos veículos, nem cimentos e equipamentos da obra. Os funcionários ficam de braços cruzados sem saber o que fazer”, afirma o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral no Estado de Pernambuco (Sintepav) em Salgueiro, Luciano Silva.

O Sindicato registrou na 1ª Vara do Trabalho de Salgueiro, ainda na última segunda-feira, um processo por dano moral coletivo. De acordo com Luciano Silva, a obra está praticamente paralisada.