Após um início de ano com resultados fracos, o setor de construção pesada deu sinais de recuperação, segundo dados do Sinicesp (Sindicato da Indústria da Construção Pesada de São Paulo).

No primeiro trimestre de 2013, as vendas de asfalto –indicador do nível econômico do segmento– estiveram em patamar inferior aos registrados em 2012 e em 2011.

Em abril, no entanto, a comercialização chegou a 203,7 mil toneladas do produto –3.000 a menos que em 2012 e 27,8 mil a mais que em 2011.

Editoria de Arte/Editoria de Arte/Folhapress

No mês passado, houve praticamente um empate com as vendas do mesmo período de 2012.

“As licitações do governo aumentaram. Desde abril, o setor opera em nível melhor que o esperado”, afirma Helcio Farias, da entidade.

“Houve crescimento tanto na produção como na venda. O asfalto é um produto que se fabrica em um dia para vender logo em seguida, pois não é fácil de estocar.”

O sindicato prevê que os números negativos de janeiro, fevereiro e março serão compensados pelos dos próximos meses, o que fará com que a construção pesada feche o ano com crescimento ante 2012.

A retração na comercialização de asfalto nos três primeiros meses do ano foi decorrente do excesso de chuvas no período, que paralisou parte das obras, ainda de acordo com o sindicato.

 Fonte: Folha de São Paulo